Venda de carros elétricos bate recorde no Brasil

    [Fonte: ICarros]

    Projeção da ABVE é de que a frota de veículos elétricos no país chegue a 41.500 unidades ao fim de 2020

    O crescimento de venda dos veículos elétricos no Brasil tem sido exponencial.

    É bem verdade que ainda não é possível equipará-lo ao do mercado europeu, por exemplo, onde estão sendo criados pelos governantes vários projetos que incentivam a mobilidade elétrica, mas por aqui podemos ver bons números em relação aos anos anteriores.

    Mesmo com dados registrados só até outubro, em 2020 o País já superou a quantidade de veículos a bateria emplacados em 2019, registrando recorde com 15.556 carros licenciados até então, segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

    A associação estima que o resultado ao final deste ano será de uma frota 60% maior que todo o volume de 2019, quando tínhamos 22.524 veículos movidos a baterias nas ruas. A projeção é de que esse número cresça para 41.500 carros.

    As vendas de automóveis eletrificados (elétricos e híbridos) entre janeiro e junho de 2020 cresceram 221% no comparativo com o mesmo período de 2019, passando de 2.356 unidades para 7.568 veículos.

    Maior mobilidade elétrica no mundo

    O relatório mais recente da Bloomberg New Energy Finance (BNEF) indica que, até 2040, aproximadamente 56 milhões de carros elétricos circularão pelas ruas e estradas do mundo.

    Para se ter uma ideia desse crescimento, na Europa os veículos elétricos já começaram a ser mais comercializados do que novos modelos a diesel. O levantamento do BNEF aponta ainda que, em 20 anos, mais da metade dos veículos vendidos no mundo serão elétricos.

    O Brasil provavelmente seguirá esses passos de maneira mais gradual, mais lenta que outros polos industriais, mas a expectativa da ABVE é de que o crescimento dos elétricos seja de entre 300% e 500% nos próximos cinco anos.

    Segundo estudo do Boston Consulting Group, a projeção é de que o País tenha uma frota de 2 milhões de automóveis elétricos até 2030.