Placa preta pode voltar aos carros de coleção em 2021

    [Fonte: O Estado de São Paulo]

    Propostas foram enviadas pela FBVA ao Denatran para modificações no layout ou mesmo retorno da placa preta com o novo padrão Mercosul; por enquanto, não há previsão de mudanças na regulamentação

    Depois de muito atraso, a placa no padrão Mercosul passou a equipar os carros novos de todo o Brasil no começo deste ano. A novidade não agradou os donos de carros antigos, que perderiam a placa preta, motivo de orgulho para muitos proprietários por identificar um modelo com mais de 30 anos e que preserve suas características originais, conforme aponta a resolução 56 do Contran. Pela nova estética, porém, o produto passou a vir com fundo branco e letras em tom acinzentado.

    Para tentar reverter essa situação, duas propostas foram elaboradas pela Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA). O objetivo seria tentar recuperar o destaque visual que a placa preta tinha.

    Entretanto, entendendo a dificuldade de se modificar o padrão de cores imposto pelo acordo no Mercosul, a FBVA protocolou no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em 2018, uma alteração desse modelo. A ideia era incluir um logotipo de veículo de coleção original. Ficaria, aliás, no espaço em branco onde, antes, seriam inclusos a bandeira do estado e o brasão do município.

    Seria essa uma forma menos invasiva e de fácil aplicação para identificar o veículo de coleção original. “Já os veículos de coleção modificados teriam um símbolo a ser escolhido, ainda, por quem debateria o assunto”, completa Antoniony Lopes, diretor técnico da FBVA. De acordo com ele, o intuito da proposta é trazer mais visibilidade às placas. “Elas (as placas) não eram apenas a identificação do veículo, mas um símbolo para quem possui modelos clássicos. Perdeu o status”.

    Placa preta

    Contudo, baseado no fato de o Brasil ser o único país do Mercosul que possui a categoria de veículo de coleção, a federação resolveu buscar mais uma tentativa. Com notícias de que, em outros países, municípios utilizam emplacamentos diferenciados para veículos históricos, foi criado um abaixo assinado para buscar o retorno do fundo preto e letras brancas.

    A Argentina, por exemplo, é um desses locais que conseguiu placas que fogem ao padrão. O Clube de Veículos de Coleção de Bahia Blanca, por exemplo, disponibiliza placas diferenciadas para a categoria (foto abaixo).

    placa preta

    Uma proposta foi preparada para isso e vai ser protocolada. “Pode ser que o Denatran leve a proposta ao Itamaraty que, por sua vez, acione o Mercosul”, diz Lopes. “Acho difícil, mas não impossível”.

    Porém, o Ministério da Infraestrutura informou, em nota, que “não há previsão, até o momento, para mudanças da regulamentação da regra para a nova PIV (placa de identificação veicular) nos veículos de coleção. A norma a ser seguida é a estabelecida pela Resolução 780″.