Jeep Compass Longitude 4×4 Diesel muda pouco, mas está longe de decepcionar

    [Fonte: O Tempo]

    Modelo 2021 do SUV médio mais vendido no Brasil traz novas rodas aro 18 e agrada pelo bom nível de tecnologia embarcada e pelo custo-benefício

    “Em time que está ganhando, não se mexe”. Apesar de questionável, o ditado popular se encaixa como uma luva para a linha 2021 do Jeep Compass.

    O modelo foi o terceiro SUV mais vendido no Brasil no ano passado (com 52.966 unidades emplacadas) e é o líder absoluto entre os SUVs médios desde 2017. No retrovisor do modelo da Jeep, mas bem de longe, estão o VW Tiguan (8.928) e o Chevrolet Equinox (com 4.812 unidades em 2020).

    Super Motor avaliou neste início de 2021, o Compass Longitude 4×4 Diesel, a versão intermediária do SUV da Jeep produzido em Goiana (PE), na planta da Stellantis – novo nome da Fiat Chrysler (FCA) após a fusão com o grupo Peugeot-Citröen (PSA).

    Para a versão, a única novidade são as novas rodas aro 18. De resto, o utilitário-esportivo segue oferecendo os mesmos bons atributos que fazem dele um verdadeiro arrasa-quarteirão automotivo no país.

    Bom de dirigir 

    Debaixo do capô, o Compass Longitude 4×4 usa o eficiente motor 2.0 turbodiesel, de 170 cv e que entrega 35,7 kgfm de torque máximo mesmo pisando leve no acelerador – aos 1.750 rpm. O câmbio automático de nove marchas completa o eficiente conjunto mecânico do SUV da Jeep.

    A média de consumo prometida do Compas a diesel é de 10,3 km/L (cidade) e 13,4 km/L (estrada), ambas oficialmente melhores que a dos SUVs concorrentes.

    Vale lembrar que, entre os principais rivais de mercado, o Compass é o único SUV médio com versões a diesel e a herdar o legítimo DNA off-road característico da marca norte-americana.

    São bons os ângulos de ataque e de saída do carro, além da altura livre do solo e do sistema de tração 4×4. Ele oferece não apenas reduzida (botão 4WD Low) como também a opção de bloqueio de diferencial, que divide a tração em 50% para cada eixo.

    Acabamento e espaço

    O nível de acabamento e o espaço interno do Compass Longitude 4×4 também não decepcionam. Os materiais usados no modelo transmitem aquela sensação de carro de luxo e de capricho.

    O porta-malas de 410 L não chega a tamanho-família, mas é suficiente para transportar compras ou  malas (até das maiores) sem dificuldades.

    Conforto e tecnologias

    Os bancos revestidos em couro e o ar-condicionado automático de duas zonas com saída para os bancos traseiros completam o conforto a bordo. O hoje indispensável trio: câmera de ré e sensores dianteiros e traseiros de estacionamento, também estão presentes.

    O sistema multimídia UConnect com tela de 8,4 polegadas é compatível com Apple CarPlay e Android Auto. Apesar de não ser uma novidade, ele não faz feio. É dos mais intuitivos e fáceis de mexer do mercado.

    Preço 

    O Compass Longitude 4×4 2021 que avaliamos parte hoje de R$ 188.990 e ficou R$ 12 mil mais caro desde o lançamento da linha em agosto de 2020. Com o pacote opcional Premium (faróis de xenônio, park assist, partida remota e sistema de som Beats), o preço da unidade testada pula para R$ 194.390.

    Tecnologias extras e outros mimos como sistema de frenagem automática de emergência ou abertura e fechamento elétrico do porta-malas, só em versões mais caras do Compass.

    Rival direto

    Para quem crê que o Compass Longitude 4×4 Diesel tem preço salgado demais, é bom dizer que os rivais VW Tiguan e Chevrolet Equinox são a gasolina e flex, respectivamente.

    No caso de modelos a diesel, o rival mais próximo do SUV da Jeep é o Toyota SW4 SRX, equipado com motor turbodiesel 2.8, de 240 cv, e tração 4×4. O carro japonês importado da Argentina custa hoje a partir de R$ 320.790.