Dunlop abre terceiro turno para produzir 18 mil pneus por dia

    [Fonte: Valor Econômico]

    Depois de ser o responsável pela implantação da fábrica brasileira, em 2012, Yoshinori Wakitani, agora como presidente, vai comandar a nova fase da Sumitomo Rubber do Brasil, dona da fabricante Dunlop, no país. O executivo, que assumiu a operação no fim do ano passado, já aumentou um turno de produção na divisão de pneus de passeio e iniciou a operação da fábrica de pneus para veículos pesados.

    A fábrica, instalada na Fazenda Rio Grande, no Paraná, recebeu mais R$ 600 milhões para ampliar a produção diária de pneus de passeio de 15 mil para 18 mil unidades e outros mil pneus para caminhões até o ano que vem. Essa expansão foi feita com a abertura de um terceiro turno de produção que exigiu a contratação de mais 40 pessoas. Hoje, a empresa tem 1,5 mil empregados e a expectativa é abrir mais 200 postos de trabalho neste ano para sustentar a expansão dos negócios.

    “A meta, que nos foi dada, é a de alcançar a lucratividade da operação neste ano. Sabemos que o ambiente não está tão favorável. O país não se recuperou como imaginávamos, mas ainda continuamos otimistas. Inclusive já iniciamos os estudos para um novo ciclo de investimento para a operação”, disse Wakitani ao Valor, em sua primeira entrevista depois que assumiu a presidência da subsidiária.

    Uma das estratégias para chegar ao azul é aumentar a participação da companhia nas vendas para montadoras. Hoje, a Dunlop é fornecedora de pneus para o Volkswagen Polo e UP!, o Fiat Mobi, Uno e Argo e Toyota Yaris hatch e sedan. Além de equipar os modelos Toyota Hilux e SW4.

    A Dunlop atua num mercado que em 2016 produziu 67,87 milhões de pneus, segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip). As vendas, naquele ano, chegaram a 70,7 milhões de unidades e 63,4% desse volume foi destinado à reposição e 18,2% para montadoras.

    “Hoje, o segmento de reposição ainda é o mais relevante dentro do nosso negócio no Brasil. Cerca de 80% da nossa produção é destinada para este mercado. Mas, estamos crescendo no fornecimento para montadoras e devemos manter esse ritmo. Em 2016, quando entramos na Toyota, esse mercado era inexistente. Estamos no caminho”, afirmou o executivo.

    Além disso, de acordo com ele, outra aposta é o segmento de pneus para veículo pesado. Hoje, a empresa tem 5,6% de participação no mercado de reposição. “Preparamos a fábrica para começar a produzir este tipo de pneu. E, assim como o equipamento para automóveis, temos uma tecnologia única no segmento, que é o de pneu sem costura, o que aumenta a sua durabilidade. A ideia é diminuir a importação desse tipo de pneu dos Estados Unidos e Japão”, afirmou Wakitani.

    Segundo ele, o foco neste segmento é o mercado de reposição e para isso, a companhia deverá reforçar a sua rede e equipes de vendas. “Queremos que o nosso pneu tenha o melhor custo benefício, mais durabilidade. E temos que mostrar isso aos clientes. A primeira etapa é essa: nos consolidarmos na reposição para depois, num segundo momento, partirmos para montadoras.” Atualmente, a Dunlop tem 250 lojas espalhadas no Brasil, Wakitani, no entanto, não quis informar o tamanho da expansão da rede. “Não tem uma região no Brasil que estamos mal assistidos. Por isso, esse aumento na estrutura de vendas é estratégica. Queremos estar nos melhores mercados do país.”

    Até o ano que vem, a Dunlop terá investido R$ 1,39 bilhão na operação no Brasil, sendo R$ 750 milhões na construção da fábrica em 2013. Wakitani disse que, o novo plano de investimentos em estudo, deverá se estender para até 2025. “Acreditamos no crescimento econômico do Brasil para os próximos anos e, por isso, decidimos investir. Há muita tecnologia no Brasil e temos que continuar investindo nisso. A matriz está ciente de que, mesmo com o ritmo de crescimento do país menor que o esperado, temos que apostar na operação. Afinal, ainda somos uma empresa “jovem” no Brasil”, ressaltou Wakitani.